Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Tácio Rogério exemplo de amor aos animais abandonados em Ceilândia

 

Com o projeto Vira Latas DF, o protetor de animais abandonados não desiste da luta em prol deles.” Eles são carinhosos, fiéis e amigos para todas as horas”, diz Tácio Rogério

 

 

 

Desde 2010, Tácio Rogério Allan Pontes, luta para salvar animais. Idealizador do projeto Vira Latas DF, tem o sonho de construir o Hospital Veterinário Público (HVEP) de Ceilândia, para tanto precisa do apoio do governo do Distrito Federal. A rotina dele é dividida entre o trabalho de corretor de imóveis e a atenção dada aos vintes animais que moram com a família.

 

Tácio perdeu as contas de quantos animais ajudou a salvar. Já pegou cachorro queimado, esfaqueado, baleado, com a pata cortada, abandonado e maltratado. Entre eles uma cadela que foi envenenada e seus filhotes ficaram a lambê-la. “Chorei tanto, fui à igreja e não consegui esquecer a cena”, declarou.

 

Em entrevista ao Tudo Ok Notícias, ele relatou que enquanto uns se desfazem dos companheiros [animais] – outros abrem as portas e dedicam a vida à proteção dos bichanos e cãezinhos abandonados à própria sorte nas ruas do DF.

 

Todos os dias, ele sai de madrugada com ração para alimentar a bicharada para amenizar a fome. Através do projeto Vira Latas DF, o mais triste é saber que muitos dos cães e gatos nunca encontram uma família novamente. Apesar das dificuldades, ele não se arrepende do esforço. “Minha vida se resume aos animais, vivo em prol deles”, frisou Rogério.

 

Paixão avassaladora

Tácio, 48 anos, nasceu no Rio de Janeiro e chegou em Brasília com três anos. Morou em Taguatinga, Gama e hoje mora no Setor P-Sul desde 1980.

Com apoio da família – esposa e os cinco filhos, Tácio resgata os animais de rua, cuida, alimenta na sua própria residência e quando possível volta a introduzir novamente na sociedade.

 

Tácio vem lutando por um abrigo que possa ter um pós-operatório para recuperação dos animais e viabilizar a vacina dos animais abandonados, que chegam até morrerem pela falta da imunização adequada.

 

Diariamente o protetor divulga o link em redes sociais com o objetivo de encontrar colaboradores tanto para projeto Vira Latas DF e para a construção do Hospital Veterinário Público (HVEP) de Ceilândia saírem do papel.  “venho pensando em concretizar esse sonho de construir um hospital para atender os animais abandonadas.”

 

 

Sem nenhuma parceria, quando necessário, ele procura uma clínica ou médico veterinário para dar uma assistência aos animais feridos. O dinheiro para a comida sai do próprio bolso ou de doações quando consegue.

 

Recentemente Tácio entrou em contato com um médico do Hospital Veterinário Animais do DF, na tentativa de uma parceria para atendimento de urgência. “Hoje tenho somente o apoio dos próprios protetores de animais quando possível e da minha família”, enfatizou.

 

 

Segundo Rogério, que esteve no gabinete do governador Ibaneis Rocha (MDB), relatou que existe uma área da Terracap de 2 mil metros quadrados para construção do hospital localizada em Ceilândia. A ideia foi muito bem recebida pelo chefe do Executiva e aguarda uma resposta do GDF para viabilizar o projeto que ele mesmo registrou em cartório.

 

Hospital 24 horas

Para Tácio, o modelo de gestão do HVEP é uma referência, e poderia trabalhar 24h por dia – operando sábados e domingos. “Uma cachorra foi atropelada ontem (domingo) e teve a patinha quebrada. Chegamos após às 18h, o hospital de Taguatinga funciona das 8h às 18h – não funciona nem sábado nem domingo. O cachorrinho só foi atendido nesta segunda”, relatou.

Ele enfatizou que se forem necessários cuidados hospitalares de um animal abandonado que se machuca em uma sexta, ele só poderá ser atendido na segunda. Daí a ideia do projeto do Hospital Veterinário Público de Ceilândia funcionar sábados de domingos 24h.

Desde a infância, Tácio Rogério tem essa relação e paixão pelos animais abandonados. “Minha mãe ia trabalhar, quando chegava eu estava com gato, cachorro lá em casa. Meu avô tinha a mesma paixão”, concluiu.

 

Acesse abaixo link da petição do Hospital Veterinário Público de Ceilândia:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdXSVqgbgffKEvWTcFUhXten3fW7M_R8uPqdVm1J_wznyh_iA/viewform